Sempre que o assunto é finanças preferimos nem nos envolver porque a maioria de nós mantem uma relação distante com o dinheiro – mesmo sendo dependente dele para tudo.

Dinheiro é um assunto delicado principalmente em países como o Brasil, onde a desigualdade e o abismo social são gritantes.

Mas graças a internet, temos o auxilio de pessoas como @nathfinancas, @astridlacerda, @graninhas e outras pessoas incríveis que desconstroem nossas crenças limitantes sobre o assunto.

Uma coisa pouco abordada é a relação dos nossos hábitos e o nosso dinheiro.

Quando falamos de comportamento abrimos um universo infinito de hábitos e costumes sociais. Dentre eles a forma que investimos ou usamos nossa grana.

  • O que você costuma comer?
  • Quais lugares você frequenta?
  • Como você costuma se mimar?
    Tudo isso fala sobre nossos hábitos, mas também sobre como gastamos dinheiro.

Se você tem o hábito de cozinhar com frequência, com certeza consegue economizar mais com delivery.  Agora se você tem menos prazer em cozinhar ou trabalha grande parte do dia possivelmente pede mais comida em aplicativo.

A questão é que a melhor forma de enxergar valor no seu dinheiro e criar um bom relacionamento com a organização dele é entendendo quais hábitos e comportamentos você mantem e quanto eles te custam.

Olhar pro financeiro dá trabalho porque normalmente não fazemos isso. Assim como quase sempre preferimos empurrar para debaixo do pano aqueles hábitos que não sabemos como mudar.

Exemplo:

  • Como pedir menos delivery?
  • Como diminuir a satisfação com compras online?
  • Como economizar grana com streaming?

E por ai vai.

Minha dica é:

Liste comportamentos que você têm e sabe que te afastam de uma organização financeira, avalie de que forma é possível lidar com eles, se é possível agora e comece um planejamento financeiro sabendo quanto custa ser você.

Checklist para revisar seus hábitos e começar a organizar suas finanças

  • Reveja comportamentos e hábitos que você possui, custam dinheiro e que você gostaria de mudar.
  • Avalie se é possível reduzir neste momento (exemplo: é possível reduzir uma assinatura de TV? É necessário continuar pagando academia sem ir? etc)
  • Calcule quanto esses itens te custam (iFood, assinaturas, comprinhas)

Uma dica é puxar o extrato da sua conta e do seu cartão de credito dos últimos dois meses. Vale muito a pena fazer esse balanço.

Dica:

  • Estipule um orçamento para o que você irá manter
  • Siga esse planejamento
  • Revise todos os meses e veja o que oscilou.

Caso você não tenha nenhuma familiaridade com planejamento financeiro comece da seguinte forma:

  1. Reúna seus gastos fixos (aluguel, internet, plano de celular, plano de saúde etc)
  2. Reúna seus gastos fixos variáveis (luz, água, compras do mês) e ponha a média estipulada pra cada
  3. Liste suas compras parceladas ou dividas (se tiver)
  4. Liste suas assinaturas (Clube de livro, Netflix, Amazon etc)
  5. Escolha uma planilha, aplicativo ou planner financeiro e passe a fazer essas atualizações todos os meses.

Dica: Sempre que possível revise o valor dos seus planos de assinatura, quase sempre há algo que pode ser reduzido.

Espero que esse post te ajude a melhorar sua relação com o dinheiro.

Write A Comment