habitos-que-mudam-logo

O Blog

Mindset: o que é a mentalidade e como isso muda a nossa vida

O que é Mindset

Há 2 tipos de pessoas no mundo: as que escutam sobre mentalidade e entendem que é a forma que você pensa que determina o que é essencial ou não na sua vida, e as que têm arrepios só de ouvir/ler a palavra mindset. Não importa de qual grupo você seja, esse texto é para você.

Mindset – o livro

O livro Mindset: A nova psicologia do sucesso, escrito pela ph.D. em psicologia e expert em sucesso e motivação Carol S. Dweck, foi lançado em 2017 e fala sobre o conceito de mindset (mentalidade em português): a atitude mental com que encaramos a vida. O livro aborda como a nossa mentalidade pode influenciar todos os aspectos da nossa vida: 

  • Desempenho escolar;
  • Aptidões artísticas;
  • Esportes e competições;
  • Negócios;
  • Relacionamentos afetivos;
  • Amizades;
  • Criação dos filhos.

Mindset – tudo em todo lugar ao mesmo tempo

Nesses 6 anos, o termo foi popularizado demais. Mas o que deveria ser uma coisa positiva (espalhar o conceito e democratizar o acesso à informação) foi na verdade por um outro caminho: as pessoas usaram a palavra irresponsavelmente, sem o menor cuidado, sem entender verdadeiramente a ideia por trás do conceito e eventualmente o termo foi perdendo a importância e até causando um certo ranço em quem ouve a palavra mindset.

Há 2 tipos de mindset: o fixo e o de crescimento:

Mindset fixo – esse tipo de mentalidade acredita que os talentos e aptidões que temos desde que nascemos podem nos levar ao sucesso ou fracasso em determinada empreitada. Nossas habilidades não podem ser mudadas. Por exemplo, se eu sou boa com números e raciocínio lógico, posso montar um quebra-cabeças facilmente, mas não posso participar de um concurso de dança.

Mindset de crescimento – também conhecido como mindset progressivo, aqui entendemos que as habilidades inatas são apenas o ponto de partida, que podem ser desenvolvidas e trabalhadas através da educação, dedicação e esforço. Todos têm potencial para montar um quebra-cabeças ou participar de um concurso de dança.

Mindset – um guia para as nossas vidas

A boa notícia é que qualquer um pode ter uma mentalidade de crescimento. Ninguém precisa acreditar que não tem motivos para superar os limites ou capacidade de aprender/fazer algo. Algumas técnicas e exercícios podem ajudar a mudarmos a nossa mentalidade.

  • O primeiro passo – e o mais importante – é reconhecer que o mindset fixo não vai embora de vez. Precisamos identificar quando ele grita e nos paralisa. Tem um conteúdo aqui no blog que pode ajudar a desenvolver o autoconhecimento e a reconhecer nossas emoções. Assim, você não deixa que algumas crenças limitem o seu desenvolvimento e aprende a reconhecer os gatilhos que fazem a mentalidade fixa sufocar a de crescimento.
  • Comemore as suas conquistas. Grandes, médias, pequenas, não importa o tamanho.
  • Seja mais positiva. Não seja o Lula Molusco (mas não precisa ser o Bob Esponja, se você não quiser). Quando alguma coisa der errado, trate a si mesma como você trataria uma amiga passando pela mesma situação. Acolha-se e seja gentil consigo mesma.

Tudo começa pelo que pensamos, mas não se esqueça: você não é os seus pensamentos, e você pode mudar se e quando quiser.

Compartilhe:

5 livros infantis para criar o hábito da leitura com seu pequeno

Se você deseja criar o hábito da leitura com seu filho, esses livros vão te ajudar a adquirir o hábito.

1. A Tecelã dos sonhos

Quando a mãe se senta diante da máquina de costura, além das prendas que fabrica dia e noite, tece um futuro melhor para a filha. Um futuro de sonhos bons, um caminho pavimentado com amor e afeto materno. Durante dias e noites, meses e anos, as máquinas de costura cantam o taca-tac taca-taca-tac, no coração de milhões de mulheres no mundo inteiro que, de maneira incansável, inventam um futuro melhor para seus filhos. 

2. Voando entre sonhos

Ruan é um garoto muito sonhador e com uma imaginação incrível! Um de seus maiores sonhos é viajar pelo mundo, conhecer novos lugares, plantas, animais e tudo mais. Até o dia em que recebe um visitante inesperado com um convite difícil de recusar.Voando entre sonhos é a leitura perfeita para ensinar as crianças sempre a se permitirem sonhar e dar asas à imaginação!

3. Flor


Construída com linguagem simples, embasada no poético, a narrativa potencializa a emotividade, abrindo portas para que sentimentos sejam aflorados, além de propiciar a expansão da visão do mundo e da afetividade. 

4. Se tudo fosse parente

A poesia é irmã do circo, prima da brincadeira e do absurdo. E mais: Marta Lagarta e Oscar Reinstein são parentes poéticos da Sylvia Orthof, nossa madrinha fada do bom humor. Se eu fosse você, chamava a família toda pra ler este livro! 

5. Pedra

Pedra é uma menina de sete anos que vive no sertão de Alagoas. No primeiro dia de aula, quando a professora faz a chamada, seu nome peculiar chama a atenção dos colegas. Um sentimento estranho nasce no coração de Pedra… Como ela vai lidar com essa nova sensação?

Esse conteúdo foi em parceira com @kipling eyewear, que possui uma linha sensacional de óculos de leitura e sol. Eu to simplesmente apaixonada pelos meus, confere no Stories.

Compartilhe:

Inteligência emocional: Como as nossas emoções impactam a nossa rotina

Como as nossas emoções impactam a nossa rotina

Suas emoções e sentimentos impactam a sua rotina. Tentar fingir que não existe ou ignorar não é o melhor caminho, a melhor forma de lidar com o que sentimos é nos acolher para enfim enxergar com clareza o que podemos fazer de melhor no momento.

Também é importante dar nome ao que sentimos. Nem sempre o sentimento é raiva, as vezes sentimos frustração e confundimos. Um bom exercício e manter um rastreador de emoções para avaliar quais emoções você sente durante o dia. Caso não tenha, basta escrever os dias de 1 a 31 a partir do primeiro dia do mês e listar como você se sentiu hoje.

Para te ajudar liberamos um rastreador de emoções no Telegram hoje.

As nossas emoções impactam a nossa vida em diferentes áreas, confira algumas:

  1. Tomada de decisões: Nossas emoções influenciam diretamente nossas decisões. Se estamos nos sentindo felizes e otimistas, somos mais propensos a tomar decisões mais arriscadas. Por outro lado, se estamos ansiosos ou com medo, tendemos a ser mais cautelosos.

  2. Foco e concentração: Emoções negativas, como o estresse e a tristeza, podem afetar nosso foco e concentração. Dificuldade em lidar com as emoções pode levar a distrações e dificuldade em completar tarefas.

  3. Relacionamentos: Nossas emoções afetam nossas interações com outras pessoas. Quando estamos felizes, tendemos a ser mais amigáveis e sociáveis. Emoções negativas podem prejudicar nossos relacionamentos se não forem gerenciadas adequadamente.

  4. Hábitos de autocuidado: Nossas emoções podem influenciar nossos hábitos de autocuidado. Se estamos estressados demais, podemos negligenciar cuidados básicos com a saúde, como dormir o suficiente, comer bem e fazer exercícios.

  5. Comportamentos de enfrentamento: Emoções desafiadoras podem nos levar a adotar comportamentos de enfrentamento não saudáveis, como comer emocionalmente, recorrer a substâncias ou se isolar dos outros.

  6. Produtividade no trabalho: Nossas emoções têm um impacto direto em nossa produtividade no trabalho. Se estamos motivados e engajados, tendemos a realizar tarefas com mais eficiência. Emoções negativas podem diminuir nossa produtividade.

  7. Saúde mental e física: As emoções estão ligadas à nossa saúde mental e física. O estresse crônico, por exemplo, pode ter efeitos negativos no sistema imunológico e aumentar o risco de doenças.

  8. Qualidade do sono: Emoções como ansiedade e preocupação podem afetar negativamente a qualidade do sono, tornando mais difícil adormecer e manter um sono reparador.

Algumas maneiras de lidar melhor com as emoções no dia a dia

  • Respire fundo: Quando estiver sentindo uma emoção intensa, reserve um momento para respirar profundamente. Isso pode ajudar a acalmar o sistema nervoso e reduzir a intensidade da emoção.

  • Dê um passo para trás: Quando uma emoção forte surgir, dê um passo para trás mentalmente. Tente observar a situação de forma objetiva e imparcial.

  • Pratique o adiamento: Se estiver enfrentando uma emoção intensa, como raiva, considere adiar a resposta imediata. Isso permite que você tenha tempo para se acalmar antes de reagir.

  • Use a técnica do “10-10-10”: Pergunte a si mesmo: como isso vai me afetar daqui a 10 minutos, 10 meses e 10 anos? Isso pode ajudar a colocar as coisas em perspectiva e a reduzir a reação exagerada a emoções temporárias.

  • Pratique a reestruturação cognitiva: A reestruturação cognitiva é uma técnica da TCC que tem como objetivo ensinar os pacientes a reconhecer os pensamentos automáticos disfuncionais, contestar esses pensamentos e construir pontos de vista alternativos a fim de tornar o paciente mais consciente de seus processos de pensamentos.

  • Encontre saídas saudáveis: Em vez de reprimir ou ignorar suas emoções, encontre maneiras saudáveis de expressá-las. Isso pode incluir escrever em um diário, conversar com um amigo de confiança ou praticar atividades criativas.

  • Mantenha uma rotina saudável: Ter uma rotina consistente de sono, exercícios e alimentação saudável pode ajudar a regular as emoções e aumentar sua resiliência emocional.

  • Busque apoio profissional: Se você achar que suas emoções estão impactando negativamente sua vida de maneira significativa, considere buscar ajuda de um terapeuta ou profissional de saúde mental.

Espero que esse conteúdo te ajude a construir a sua inteligência emocional.

Para mais conteúdos confira nosso Instagram @habitosquemudam.

Compartilhe:

5 livros essenciais para melhorar sua rotina e seu autoconhecimento

É possível que você tenha uma lista com os livros mais conhecidos sobre autoconhecimento e alta performance, mas quando falamos de mudança de hábitos e rotina o autoconhecimento é a chave. Resolvi trazer 5 livros que te ajudam a evoluir sem desrespeitar a sua realidade. Eles são eficazes, com linguagem leve e exercícios que te faz chegar mais perto da versão que você deseja.

Esses livros foram indicados na live que fizemos no Instagram sobre rotina, confira aqui.

5 livros essenciais para melhorar sua rotina e seu autoconhecimento

Micro-hábitos

Micro-hábitos oferece um guia prático, inédito e imediatamente aplicável. Não é apenas um resumo de métodos que já existem ― cada capítulo traz descobertas intrigantes e passos simples para melhorar sua vida, baseados na pesquisa revolucionária de BJ Fogg.

Compre aqui.

Talvez você deva conversar com alguém

Combinando histórias reunidas a partir de sua rica trajetória como terapeuta (distribuídas entre quatro personagens inesquecíveis) à sua própria experiência como paciente, Lori nos oferece um relato afetuoso, leve e comovente sobre a universalidade de nossas perguntas e ansiedades, e joga luz sobre o que há de mais misterioso em nós, afirmando nossa capacidade de mudar nossas vidas.

Compre aqui.

Hábitos atômicos

Pequenas mudanças, resultados impressionantes. Não importa quais sejam seus objetivos, Hábitos Atômicos oferece um método eficaz para você se aprimorar ― todos os dias.

Compre aqui.

Por que ninguém me disse isso antes?

Neste livro, a dra. Julie oferece um guia prático para ajudar você a compreender o que está sentindo, por que está sentindo e como lidar com isso da melhor forma possível.

Compre aqui.

Rotina Criativa e Hábitos que Mudam

O livro Rotina Criativa e Hábitos que Mudam traz de maneira visual e descomplicada formas de mudar hábitos, criar uma rotina criativa e viver uma vida com significado. São exercícios, frases e muito conteúdo para te aproximar da vida que você sonha viver.

Compre aqui.

Espero que você curta as indicações. Se ler, volta para me contar o que achou!

Compartilhe:

Como criar o hábito de acordar cedo

Uma das queixas mais constantes de vocês é a dificuldade em acordar cedo. Entendo que para muitas, acordar cedo mudaria totalmente o rumo da rotina e dos hábitos presentes no dia a dia, mas a questão é que envolve mais processos do que pensamos.

Não é simplesmente por o despertador para tocar e confiar que irá começar o dia, precisamos redefinir todos os nossos hábitos e costumes anteriores.

Como criar o hábito de acordar cedo

  • A hora que você dorme

Isso impacta em como você irá acordar. Não adianta dormir 4h/5h por noite e esperar acordar cedo de forma confortável, pois não vai.

  • Os hábitos que você mantem

Sabe a atividade fisíca? É um dos hábitos que nos ajudam a regular o corpo. Exercitar-se regularmente pode ajudar a estabelecer um padrão de sono mais consistente, facilitando o processo de acordar pela manhã.

  • A organização da sua casa

Essa parte é bem interessante e tem muito a ver com o sentimento de “acordar”. No livro Hábitos atômicos o autor aborda o design de ambientes para ajudar a manter um hábito, como deixar o tapete de yoga no seu campo de visão, deixar sua mesa organizada e por aí vai. A organização da sua casa é um fator que determina como você se sentirá. Muitas vezes o que deixamos organizado na noite anterior faz com que nossa manhã comece com mais leveza, evitando o sentimento de “não quero acordar”.

  • A higiene do sono

Reduzir as luzes, diminuir os estímulos das telas, manter hábitos que favoreçam como tomar chá, banho morno e por aí vai.

  • Sua alimentação

A alimentação desempenha um papel importante no despertar cedo, pois fornece os nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo.

  • A quantidade de água no seu corpo

Beber água suficiente ao longo do dia e especialmente antes de dormir pode ajudar a evitar a desidratação durante a noite. A desidratação pode causar fadiga e sonolência matinal, tornando mais difícil acordar cedo. Ou seja, mantenha-se hidratada.

  • O seu estado mental

Tudo que falamos aqui envolve primordialmente a qualidade do sono e a saúde mental afeta diretamente isso. Distúrbios mentais, como ansiedade, depressão e estresse crônico, podem interferir no nosso sono, resultando em dificuldade em acordar pela manhã.

Espero que esse conteúdo te ajude!

Compartilhe:

Como criar um planejamento para o semestre e segui-lo

Seguir um planejamento mensal já é difícil para algumas pessoas, imagine um de médio prazo?

Essas dicas vão te ajudar a criar um planejamento semestral e segui-lo.

O planejamento semestral diferente do mensal ou trimestral, tem objetivos e metas de longo prazo. O que te ajuda a usar de forma mais coerente os primeiros meses.

Se o seu objetivo para o próximo semestre for cuidar da saúde e do seu corpo, você pode usar o primeiro mês para adaptação, seja começando a se exercitar em casa ou testando a atividade que mais se identifica.

Nos próximos meses pode focar em manter a constância e aumentar a disciplina. Se o seu objetivo é criar uma boa relação com o seu corpo, é importante lembrar que a construção de um hábito tem altos e baixos, não adianta criar uma meta de 1 mês para uma mudança que envolve muitas camadas.

Então, sempre que for criar um planejamento de médio e longo prazo você precisa considerar essas 5 coisas:

  1. Considere os imprevistos Imprevistos, todo planejamento está suscetível a alteração, tenha isso em mente para evitar possíveis transtornos
  2. Mantenha o planejamento por perto O que não é visto não é lembrado! Não adianta criar um documento impecável, se dedicar horas para algo que não estará por perto. Seja no digital ou fisico é importante ter esse planejamento visível para que você não se esqueça e mantenha o foco.
  3. Acompanhamento Pode parecer a mesma coisa do número 2, mas são ideias completamente diferentes. Uma coisa é ter algo por perto para te lembrar outra é acompanhar e revisar. Dedicar um tempo para ver o que pode ser modificado ou alterado. É importante acompanhar o andamento de cada projeto da sua vida, seja pessoal ou profissional. Existem algumas ferramentas para isso como rastreador de hábitos, é possível adaptá-lo para os seus projetos.
  4. Ritualize para encontrar a motivação Apesar de muitos condenarem a motivação para manter um hábito, a verdade é que vivemos em prol dela. Seja para o nosso lazer, compromissos ou tarefas mais árduas. O que nos motiva no final é saber que algo será atingido ou que ao menos a tarefa irá ser finalizada (ouvimos um AMÉM?). Mas a questão é: como nos manter motivada? Não espere se sentir motivada sozinha ou até mesmo na hora que você tiver que olhar para as suas tarefas ou objetivos, comece a ritualizar tudo. Crie pequenas alegrias e acordos para cada meta e objetivo.

    Exemplo: Um dos seus objetivos do semestre é economizar grana, mas é difícil se sentir motivada a largar o delivery, deixar de comprar uma blusinha e passar a gastar com mais consciência. Se você estiver contando com a motivação para deixar de comprar algo que gosta, você vai falhar, mas se você começar a ritualizar esse objetivo, fica mais fácil se encontrar com ela. Supondo que a partir de agora você irá guardar todo dinheiro que investia em delivery para comprar aquele tênis do seus sonhos. Toda vez que você deixar de pedir comida você fará um pix ou anotará R$ 20,00 para o tênis. É uma forma de se motivar diariamente, entende? existem inúmeras formas de ritualizar e se manter motivada a seguir suas metas, você só precisa dedicar um tempo para isso.
  5. Menos é mais: não acumule projetos Meu público é 97% mulheres, logo, entendo que como eu, vivem sobrecarregadas, principalmente se tiverem filhos. Não existem só os nossos projetos, mas os projetos deles. É comum acharmos que precisamos melhorar todas as áreas da nossa vida ao mesmo tempo, tirar 3 projetos do papel, aumentar o salário em 6 meses e terminar a 2 pós em 2 anos. A questão é que o custo disso é caro e quase sempre não é válido. Tente focar em 1 projeto por área. Se você deseja mudar sua alimentação e praticar atividades físicas, apesar de andarem lado a lado, focar nas duas de uma única vez pode te sobrecarregar. Assim como se você decidir que é hora de se tornar craque em inglês, terminar a pós e manter um ritmo de duas leituras por mês. Se algo está pesado, reflita no que é necessário para AGORA.

Tudo que eu poderia listar sobre planejamento, possivelmente você já sabe, mas essas são as que vão forjar uma nova mentalidade e te ajudar a seguir o seu planejamento.

Mas caso você esteja por fora literalmente abaixo te dou umas dicas do que é indispensável para um bom planejamento:

  1. Mantenha todos os compromissos organizados e sincronizados no seu calendário digital
  2. Cheque datas comemorativas, feriados e festas
  3. Crie lembretes para revisar o andamento de projetos
  4. Planeje sua semana preferencialmente aos domingos
  5. Crie uma caixa de entrada: uma lista com todas as suas pendências pessoais ou profissionais, o objetivo é tirar da sua mente. Depois organize por prioridade.
  6. Reduza as distrações, mantenha os dispositivos longe sempre que precisar manter o foco
  7. Crie subtarefas para tarefas maiores e que demandam mais tempo
  8. Mantenha suas anotações num único lugar, seja o bloco de notas do celular ou um caderno
  9. Ritualize seus processos, se prepare para isso, deixe um tempo livre antes de imergir em algo que precisa da sua atenção
  10. Nem sempre você vai conseguir sozinha, peça ajuda quando for necessário. Não precisamos saber tudo.

Espero que esse post te ajude a ter um semestre mais organizado!

Compartilhe:

5 maneiras de retomar o hábito da leitura

Talvez você não abra um livro há algum tempo. Talvez tenha largado um livro pela metade. E sente que é difícil demais recomeçar a ler com a rotina que te engole. A boa notícia é que dá para recuperar o hábito da leitura: e só depende de você.

Como retomar o hábito da leitura?

Seja porque você precisa ou porque você quer, saiba que é possível retomar o hábito da leitura – mesmo com a vida corrida.

  1. Comece pequeno

Você não precisa ler todos os livros que estão empoeirados na sua estante. Você só precisa começar. Estabeleça uma meta curta (e alcançável): ler 5 minutos por dia, ou 10 páginas – e vá aumentando conforme for ficando mais fácil. Os minibooks são uma excelente opção para esse recomeço!

  1. Preencha os seus intervalos com leitura

Quanto mais acessível, mais fácil fica ler. Pode ser no transporte público, na fila de espera de um banco, no consultório médico ou em qualquer situação. Para isso, é bom estar sempre preparada: tenha um app de leitura instalado no seu celular!

  1. Leia os gêneros que te prendem

Se você já sabe qual estilo faz o seu coração bater mais forte, comece por ele. Se não souber, experimente diversos gêneros. Fantasia? Young Adult? História? Terror? Romance? Suspense? Biografias? Poesia? Muitas pessoas dizem que não gostam de ler, mas com certeza elas ainda não encontraram um estilo literário para chamar de seu. Teste sem compromisso de ler até o final: o importante aqui é o autoconhecimento. Se despertou o seu interesse, continue.

  1. Experimente mídias diferentes

Às vezes ler no papel não funciona para você em todos os momentos. E por isso mesmo há diferentes maneiras de ler – que tal experimentar ouvir um audiobook no ônibus? Ou ler no celular enquanto espera o seu pedido ficar pronto? 

  1. Conheça o Skeelo

O Skeelo é o maior app de leitura da América Latina. Nele você encontra ebooks, audiobooks e minibooks de dezenas de gêneros diferentes – de livros técnicos e de desenvolvimento pessoal a eróticos, passando por mangás e grandes clássicos. 

O Skeelo é parceiro de diversas empresas que com certeza fazem parte do seu dia a dia, como: Claro, Vivo, UOL, Sem Parar e muitas outras. Com essas parcerias, você pode ler livros novos todos os meses sem nenhum custo e o acervo do app conta com os títulos mais vendidos do mercado e os queridinhos dos leitores. E chegam livros novos à estante todo mês.

Incrível, né?! A plataforma oferece um leitor digital prático e adaptável para que você possa consumir todos os gêneros de e-books, audiobooks e minibooks onde, como e quando quiser.

Baixe aqui o app e ative seu Skeelo. Ele vai te ajudar na transformação do seu hábito de leitura.

Compartilhe:

Cronotipo: entenda por que nem todo mundo consegue manter a mesma rotina e horários

Você acorda, fica deitada na cama esperando a alma voltar para o corpo por 10 minutos e enquanto isso rola o feed do instagram. Nos stories, suas amigas já malharam, lavaram roupa, tomaram café da manhã ou começaram o dia de trabalho, e você só consegue pensar “Meu Deus, como que elas acordam com tanta disposição?”. A resposta pode ser simples: cronotipo.

O que é cronotipo?

O cronotipo é uma inclinação natural do ser humano aos horários em que ele prefere acordar e dormir, ou quando está mais alerta e cheio de energia – é o ritmo do ciclo circadiano. O cronotipo pode também influenciar o apetite, a atividade física e até a temperatura corporal! 

Ele é medido pelo relógio biológico. Não é apenas uma preferência pessoal, é uma combinação de fatores – como genética, questões ambientais e atividades naturais do nosso corpo: estado de alerta e ritmo de descanso. 

Entender o seu cronotipo é importante para manter uma rotina criativa, ou planejar uma mudança de hábitos que não te deixe frustrada.

Qual é o seu cronotipo?

A melatonina é um hormônio secretado no escuro, que estimula o sono e administra toda a nossa energia. Dependendo da sua quantidade, estamos mais despertos ou sonolentos. 

Cronotipo matutino/diurno

Aqui, o ápice da produção de melatonina acontece antes da meia-noite. São pessoas que dormem cedo, acordam cedo e passam a manhã com disposição e alta produtividade. São pessoas que dormem às 22h da noite e acordam às 6h.

O Instituto Internacional de la Melatonina (IiMEL) acredita que 25% da população faça parte desse grupo.

Cronotipo vespertino/noturno

Aqui, o pico de melatonina acontece às 6h da manhã. São pessoas que não conseguem dormir cedo, acordam tarde e têm maior produtividade no período da noite. Geralmente dormem poucas horas nos dias úteis e tentam compensar nos fins de semana.

Na média, é quem dorme às 3h da manhã e acorda às 11h.

25% das pessoas têm esse cronotipo, segundo o IiMEL.

Cronotipo intermediário

Quando a produção máxima de melatonina acontece em torno das 3h da manhã, e as pessoas têm maior flexibilidade no período produtivo. São aqueles que dormem meia-noite e acordam às 8h da manhã. 

São 50% da população mundial.

Perfis de relógio biológico

O psicólogo americano Michael Breus, conhecido como Doutor do Sono, desenvolveu um teste que avalia o cronotipo de acordo com os perfis de sono de 4 animais: urso, leão, golfinho e lobo.

  • Golfinho: De acordo com Dr. Breus, são pessoas que geralmente acordam se sentindo pouco revigoradas e ficam cansadas até o fim da tarde. No começo da noite, entram no ritmo e ficam mais alertas com o avançar da noite. São cautelosos, introvertidos, inteligentes e mais produtivos em momentos diferentes ao longo do dia. Só 10% das pessoas se enquadram nesse tipo.
  • Leão: Acordam muito cedo, são muito produtivas pela manhã, estão super alertas ao meio-dia e com o cair da tarde começam a se sentir cansadas. Conseguem dormir sem dificuldade, e cedo. São estáveis, práticas, otimistas. 15% a 20% da população se encaixa aqui.
  • Lobo: Impulsivos, pessimistas, criativos. Essas pessoas têm mais dificuldade de acordar cedo, antes das 9h da manhã. Não conseguem produzir bem antes do meio-dia, com pico de produtividade durante a tarde. Às 19h estão alertas, e o cansaço só vem depois da maia-noite. 15% a 20% das pessoas têm esse perfil.
  • Urso: Metade da população têm o perfil do urso. São pessoas que precisam da função soneca do despertador para levantar, são mais produtivas no fim da manhã, com estado de alerta máximo entre o fim da manhã e o começo da tarde. Começam a se sentir menos cansados durante a tarde. De noite, dormem profundamente, mas sentem que precisam dormir mais. Tendem a ser pessoas simpáticas e descontraídas.

Em 2021 eu fiz uma prosa no instagram falando sobre cronotipo, ritmo circadiano, disciplina e autoavaliação. Você pode fazer o teste em português, mas alguns especialistas recomendam fazer o teste original, em inglês.

Se você sabe em qual cronotipo se encaixa, fica mais fácil desenvolver estratégias e planejar atividades como estudo, atividade física e leitura. O autoconhecimento vai te ajudar a chegar na rotina que você tanto quer.

Compartilhe:

Hobbies para testar e aproveitar o tempo fora das redes sociais

Criar um hobby pode parecer uma tarefa simples, mas com o excesso de opções que encontramos é muito fácil nos perder e não chegar a nenhuma decisão. Podemos criar uma lista com atividades que desejamos fazer, mas muitas vezes desistimos só de pensar.

A verdade é que nos tornamos pessoas desacostumadas a sair da zona de conforto. Hábitos simples se tornaram mais complicados com o passar dos anos, afinal, temos quase tudo na palma das nossas mãos.

Então, para evitarmos o sentimento de frustração e a falta de foco, antes de decidirmos qual hobby vamos desenvolver, que tal avaliar o que você gosta?

Sem essa ideia de “vou começar com algo super diferente”. Para algumas pessoas isso funciona, mas caso você tenha uma tendência em deixar pra lá, é melhor criar um hobby dentro de um assunto que você já curte.

Lembrando: Um hobby é uma atividade que decidimos fazer prazer ou para relaxar, sem a intenção de obter lucro ou benefício financeiro. 

Coisas que talvez você goste de fazer:

  • Esportes
  • Dança
  • Gastronomia
  • Arte
  • Artes manuais 
  • Escrita
  • Jogos
  • Música
  • Idiomas
  • Conhecimentos gerais

Muitas atividades podem ser desenvolvidas em casa, como crochê, bordado, pintura, escrita, dança e por aí vai.

Mas as vezes o que você precisa é sair mais de casa. Então na hora que decidir qual hobby deseja fazer, avalie qual a sua necessidade: se distrair em casa mesmo ou sair e se conectar com o mundo lá fora?

Uma forma interessante de encontrar oficinas é buscando SESC, Museus e Instituições do governo que oferecem algum tipo de atividade.

Caso não encontre o que deseja presencialmente, existem plataformas de ensino gratuito para aprender diferentes cursos. Também há plataformas como, Udemy, Domestika e até mesmo a Hotmart com cursos acessíveis de diferentes nichos.

10 Hobbies para desbravar:

  1. Criar uma coleção
  2. Construir e cuidar de um jardim
  3. Fotografia
  4. Escrita criativa
  5. Aulas de dança 
  6. Artes manuais como pintura, cerâmica etc
  7. Aprender um idioma novo
  8. Aprender a jogar xadrez
  9. Tarô
  10. Colagem

Espero que esse post te ajuda a pensar em alguma atividade para fazer longe das redes sociais! 🙂

Compartilhe:

O que são neurotransmissores e como eles são importantes para a nossa rotina e construção de hábitos?

Construir hábitos não é uma tarefa que se desenvolve da noite para o dia. Entender o que queremos alcançar faz parte do processo de construção. O estímulo certo provoca a reação que nosso corpo e mente precisam para criar uma rotina repleta de atividades que tragam bem-estar. É como entender uma receita: se você quer um bolo mais doce, não adianta colocar mais fermento, né?

O que são neurotransmissores?

Os neurotransmissores são substâncias químicas produzidas pelos neurônios. Eles são os mensageiros químicos do cérebro: sua função é enviar informações às outras células do corpo. São os neurotransmissores que avisam ao nosso corpo que está chegando a hora de dormir quando não há mais exposição à luz, que estamos em uma situação de perigo ou que o bebê está pronto para nascer, por exemplo.

Mais de 100 neurotransmissores já foram identificados, mas 7 deles têm grande destaque para manter hábitos e uma rotina prazerosa. 

Os 7 principais neurotransmissores

Entre os 7 principais neurotransmissores temos:

  • Dopamina:
    É responsável pelo hormônio do crescimento e pela coordenação dos movimentos. Está vinculada à euforia, mecanismos de recompensa e reforço de comportamento. Inúmeras drogas que causam dependência aumentam o nível de dopamina no cérebro.

  • Endorfina:
    também chamada de “hormônio do prazer”, age na transmissão do sinal de dor, causando prazer, felicidade e bem-estar. Tem envolvimento com a resposta imunológica do organismo.
  • Gaba:
    Abreviação de ácido gama-aminobutírico, ele age na visão, controle motor e regulação da ansiedade e do humor.
  • Melatonina:
    Está conectada à retina e tem intensa relação com claridade/escuridão. Sua função é regular os diferentes ciclos do corpo humano, como os ciclos metabólicos, neuroendócrinos, sono-vigília e no sistema genital feminino.
  • Noradrenalina:
    Está relacionada com o estado de alerta causado pela resposta de luta ou fuga do nosso corpo. Aumenta a atenção e a excitação nos momentos de estresse. 
  • Ocitocina:
    É um hormônio neurotransmissor. Tem função no reconhecimento social, na ligação e na reprodução sexual – causa as contrações do útero na hora do parto. É associada aos sentimentos de amor, gratidão e modulação do medo.
  • Serotonina:
    Ela regula e modula o humor, sono, ansiedade, apetite, coagulação sanguínea e o ciclo circadiano também. Tem efeito sobre o desejo sexual e o aprendizado. 

O que acontece quando os neurotransmissores não funcionam direito?

Já sabemos que os neurotransmissores são mensageiros, mas como as mensagens são enviadas para as outras células? Através das sinapses acontecem as neurotransmissões. 

Quando há perda ou excesso de neurotransmissores, ou interferência nas sinapses, algumas doenças e transtornos podem se desenvolver, como:

  • Alterações no humor
  • Alzheimer
  • Ansiedade
  • Depressão
  • Distúrbios de memória e aprendizagem
  • Doença de Parkinson 
  • Enxaqueca 
  • Epilepsia
  • Fibromialgia
  • Insônia
  • TDAH (transtorno do déficit de atenção e hiperatividade) e transtorno do pânico.

Como ativar os neurotransmissores?

Cada neurotransmissor tem sua própria maneira de ser ativado – e seus resultados positivos.

dopamina

Para potencializar a dopamina, você pode praticar exercícios físicos, yoga e tai-chi, meditar, celebrar suas conquistas e expressar gratidão. Os efeitos são redução de ansiedade, aumento de energia e de motivação.

endorfina

A endorfina é ativada com exercícios aeróbicos (como corrida, natação e bicicleta), comer chocolate, gargalhadas, atividades ao ar livre e contato com a natureza, ouvir música e sexo. Como benefício temos redução de dor e depressão e sensação de bem-estar e felicidade. 

GABA

Para aumentar o GABA você pode meditar, praticar mindfulness ou yoga, fazer exercícios respiratórios e comer castanhas e outros alimentos antiinflamatórios. Como recompensa temos redução de ansiedade, aumento da sensação de relaxamento e ajuda no ganho de massa muscular.

melatonina

A melatonina é melhor produzida quando temos uma rotina de sono, desligamos as telas e luzes pelo menos 2 horas antes de dormir, pegamos um pouco de sol todos os dias e dormimos em ambiente completamente escuro. Com isso temos melhora na qualidade do sono, do ciclo circadiano e melhor desempenho da regeneração celular.

noradrenalina

Já a noradrenalina é ativada com massagens, exercícios físicos cardiovasculares, assistindo a filmes de ação ou aventura, andando de montanha-russa ou praticando esportes radicais. Como benefícios temos redução de estresse, aumento do estado de alerta e melhora no raciocínio, cognição e foco.

ocitocina

A ocitocina é liberada quando fazemos atividades que aumentem a nossa autoconfiança. Dançar, receber presentes, fazer trabalho voluntário, troca de carinhos e cafuné, meditação, sexo e contato com animais de estimação proporcionam bons sentimentos e sensação de bem-estar físico e emocional.

serotonina

Por fim, a serotonina. Ser otimista, fazer atividades relaxantes – como meditação e yoga -, praticar atividades físicas, comer alimentos ricos em triptofano (carne, peixes, chocolate preto) e tomar sol diariamente resultam em regulação do humor, melhora do ritmo cardíaco e mais facilidade na tomada de decisões.

Fontes:

https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2022/05/30/sexo-humor-sono-estresse-entenda-o-que-sao-e-papel-dos-neutransmissores.htm

Compartilhe:

Oi! Boas vindas ao Hábitos que Mudam

Larissa Rodrigues é publicitária, criadora de conteúdo e facilitadora de rotinas. Criou a comunidade Hábitos que Mudam, com o objetivo de compartilhar conhecimentos sobre rotina, produtividade e mudança de hábitos de forma criativa e descomplicada para quem tem rotinas agitadas.

habitos-que-mudam-logo

O Hábitos Que Mudam começou buscando tornar simples o planejamento, organização e mudança de hábitos das pessoas. Hoje temos uma comunidade com mais de 350 mil pessoas fazendo mudanças incríveis em suas vidas.

RECEBA AMOR NO SEU EMAIL!